quinta-feira, 23 de abril de 2015

A propagação do ódio e o lado da mídia

Ainda em tempo, imagine você, se a televisão flagrar um torcedor na arquibancada fazendo gestos para a torcida rival levando a mão ao pescoço, como se dissesse: vou te degolar! Já pensaram o alarde que a mídia faria? Bem, não seria pra menos, afinal, degolar alguém só porque não torce para o mesmo time que você, seja um gesto de "brincadeira" ou no calor da emoção, não é aceitável.

Temos vivenciado cada vez mais a sociedade do ódio: odeio você, porque sou contra você. Mas normalmente esquecem de perguntar: de onde vem o ódio? Quem constrói isso? A sociedade violenta, obviamente está em todo lugar, inclusive, no futebol. Agora, em meio à tantos casos de violência no futebol, as autoridades, polícias e os veículos de comunicação, normalmente, apontam apenas um culpado: o torcedor ou torcedora. A violência, essa que está na sociedade como um todo e se manifesta também no esporte, não acontece do nada, mas é construída cotidianamente também pelas autoridades ou por quem teria a responsabilidade de enfrentá-las.

O exemplo claro, aconteceu essa semana. Deixando de lado a rivalidade ou o placar do jogo, é inaceitável, que se permita um atleta, que é visto como exemplo para inúmeras crianças, jovens e adultos, propagar qualquer tipo de atitude violenta, mesmo que ela se defina em um simples gesto, que pareça inofensivo, mas não é. Pior, ainda, é o consentimento de toda a estrutura que está por trás da sociedade e do principalmente do esporte.

Nós pudemos ver isso claramente no jogo entre Coritiba x Londrina, no Couto Pereira, válido pela semi-final do campeonato paranaense. Como, um jogador profissional vai até a torcida adversária e propaga um gesto violento, explicitamente incitando o ódio e nada acontece com ele? A arbitragem não o pune e assim, permite que todos os outros atletas façam o mesmo gesto de cortar a garganta do inimigo - aliás, adversário não existe mais, é inimigo. E a Federação? Qual a abordagem, qual medida tomada? Silêncio. A televisão, formadora de opinião, trata com normalidade o caso. O jornal, inclusive, um veículo impresso de boa circulação da cidade de Londrina, tem a coragem de estampar um gesto desses na capa da sua edição, como se naturalizasse esse tipo de violência. A imprensa curitibana, então? Se pudesse editar para colocar um vermelho de sangue ali, estaria melhor ainda. Agora, a pergunta que fica: e se fosse um torcedor? Ou, então, um torcedor organizado? Ah, sim, certamente todos fariam aqueles sensacionalismos, afinal, a culpa da violência no futebol é apenas das torcidas.

Arthur Montagnini

15 comentários:

Alexandra Piacenzo disse...

Concordo plenamente com você. E quero deixar meu comentário de que nós, torcedores do LEC, é que fomos tachados de violentos.

Paulo Stuck disse...

Eu acho que quem estava lá deveria mover um processo contra os jogadores que fizeram isso.

osnei disse...

concordo tinhan que dar 12 jogos de suspençao para aquele que incita o odio e a violencia
osne

Rafael disse...

Eu até concordo com os Srs. mas se o Londrina tivesse classificado, nada disso seria levado em conta, e outra, só se deixa levar quem tem mente fraca, vc vai assistir um filme violento e depois vai sair matando todo mundo pq foi incitado pelo filme! Mais uma vez digo, respeito as opiniões citadas, e tbm quero que respeito a minha

Abraço a todos

Tubarão até morrer

Anônimo disse...

Se não me engano foi o Arthur em 2013, contra o Roma de Apucarana, (ou contra o Arapongas), fez o gol e fez gestos de como se estivesse matando um passarinho com um estilingue!
Não vem de hj, mas de fato é ridículo qualquer ato desse!
É só futebol, somos torcedores rivais, trabalhamos juntos, fazemos compras juntos, pode ser chefe, seu médico que vai salvar sua vida, ou seu paciente que vc deveria salvar a vida...
É por essas e outras que não vou aos jogos... Ódio nomestsdio inclusive com o torcedor do mesmo time, e o torcedor que quer ficar em casa é taxado de modinha (a impressão que dá é que o SM está bancando para esse ódio do torcedor que fica em casa)... Intolerância está aí, cabe a nós mesmos mudarmos!

John disse...

Mimimi... Sardinhas. O estrago em Maringá não merece texto, punição??? Por favor... esse gesto é usado no meio futebolístico mundial, quer dizer: terminou, acabou!! Vocês deriam respeitar mais o MAIOR do Estado, o time da Capital, cada um no seu lugar!!! SAV

Ailton Moro disse...

Sou coxa e repudio esse tipo de comemoração. Não sei o que a torcida do londrina fez aos jogadores do Coxa, mas como profissionais que são e exemplos para nossos filhos, os atos das comemorações foram repudiáveis. Já chega o "Estado islâmico" pelo amor de Deus. Vamos levar paz e diversão em nossos estádios.

Cleber Patricio disse...

Tudo depende do ponto de vista...em partes concordo. Só que o ídolo da torcida do LEC é o Germano, o que fez esse mesmo Germano no jogo em Londrina??? Extremamente agressivo com seus companheiros de profissão, e ainda vem falar em exemplo das crianças...do Germano não foi falado nada né???

Daylon Camargo disse...

Não é mole não o londrina e freguês do meu verdão kkkkkkkk

Raphael Abre disse...

Concordo com você que qualquer tipo de incentivo a violência deve ser evitado. Chegamos em um ponto onde qualquer esforço, por mínimo que seja, já válido pra trazer paz a sociedade. Mas discordo que a federação ou o arbitro deveria fazer algo para punir. É uma questão de educação, que merece reflexão por quem cometeu. Eu, torcedor do Coritiba, acredito que a primeira iniciativa em coibir essas ações deveria partir do clube. A rivalidade no futebol esta distorcida. Não que o Londrina seja santo e também tem sua parcela de responsabilidade, mas a mudança tem que começar internamente.
Um abraço.

emercastro disse...

Tambem Sou contra A VIOLÊNCIA, acho que deveriam de punir quem a incita, Quero aproveitar e parabenizar o Londrina pelos 2 jogos emocionantes que Fizeram contra o Coxa.
Parabenizar Ponta Grossa e Foz do Iguaçu, Parabéns só 4 Cidades chegaram a semi-final, foram elos Jogos, E torço para que o Lec suba pra segundona e Foz e Operário façam uma otina serie D e cresçam todos

josé disse...

È na verdade a moral, ética não se aplica em várias áreas, da vida humana, respeito então sumiu e pergunto: cade o estatuto do torcedor e a federação? também sumiu?, eu ficaria muito decepcionado, se tivesse no estadio e não sei como seria minha reação.
Pela televisão já fiquei constrangido e com mal estar. Deprimente.

J Caldas Caldas disse...

É... Realmente a atitude dos atletas do Coritiba foi péssima. O que não incita a violência é o ex jogador Germano com suas atitudes e a torcida "sei lá que nome" fazendo exatamente o mesmo para os atletas do Coritiba no primeiro jogo. Esse post pra mim é coisa de "camisola".

Anselmo Levandoski disse...

Jogadores e torcedores do time que se intitula tubarão, mas não passa de sardinha, tiveram atitudes anti desportivas e desrespeitosas contra o CORITIBA,e só depois que levaram o troco começou a choradeira. Aplaudi de pé a atitude dos jogadores do COXA. Se vocês querem respeito, aprendam a respeitar .

EduCoxaDoido disse...

AFF... APOSTO Q VC (AUTOR) NAO SABE QUE OS TORCEDORES DO LONDRINA SOLTARAM FOGUETES EM FRENTE AO LUGAR ONDE O TIME COXA BRANCA ESTAVA HOSPEDADDO LA EM LONDRINA, E NEM QUE TODOS OS SARDINHAS JA SE CONSIDERAVAM NA FINAL!!